Juros, taxas e prazos: saiba como calcular empréstimo

O maior erro na hora de escolher uma linha de crédito é deixar de comparar as condições oferecidas por cada instituição. Pensando nisso, desenvolvemos algumas ferramentas que vão te ajudar a calcular empréstimo de um jeito prático e rápido.

Na hora de solicitar um empréstimo, poucas pessoas olham com atenção para as condições oferecidas pelos bancos. Muitas vezes, deixam de notar que na operação são embutidas outras taxas e encargos, além dos juros. Dessa forma não sabem o valor total da dívida. Por esse motivo, é muito importante entender como calcular empréstimo.

Antes de contratar um empréstimo é necessário analisar, pelo menos, três informações básicas para saber o valor total da dívida. Juros, taxas e prazos. Os bancos e as financeiras devem fornecer esses dados, mas com a ajuda de algumas ferramentas que disponibilizamos abaixo, você pode chegar nesses números sozinho. Isso vai te dar autonomia, além de ajudar a escolher o tipo de empréstimo e a instituição.

>> LEIA MAIS: COMO ESCOLHER O MELHOR EMPRÉSTIMO

O cliente precisa saber a taxa de juros para que possa comparar em outras instituições e escolher a mais barata. Também é necessário se informar sobre as taxas que são embutidas na operação.

Apesar de dividir a quantia em várias parcelas, o consumidor não considera se vai apertar o orçamento ou se conseguirá quitar. Por isso, é fundamental saber o prazo em que a renda estará comprometida para pagar o empréstimo.

 

Como calcular empréstimo – Juros

Para calcular o seu empréstimo, é necessário saber a taxa de juros. A instituição pode passar essa taxa no valor mensal ou anual. Nas calculadoras abaixo, você consegue converter, de acordo com o seu interesse.

 

Como calcular a parcela do empréstimo

A fórmula para calcular a parcela do empréstimo utiliza o valor solicitado, prazo de pagamento e taxas de juros. Ela está descrita abaixo:

Fórmula para calcular empréstimoP = Parcela do Empréstimo

V = Valor Solicitado

J = Taxa de Juros

M = Prazo (em meses)

Como se pode ver, é bastante complexa e não é algo simples de se fazer. Para facilitar a sua vida, criamos uma calculadora onde é possível descobrir o valor da parcela do seu empréstimo. Basta colocar o valor de interesse, o número de meses e a taxa de juros mensal da instituição.

Existem ferramentas disponíveis na internet, por exemplo, a calculadora do cidadão desenvolvida pelo Banco Central. Esse produto é possível calcular uma das quatro variáveis do empréstimo: valor financiado, valor da prestação, taxas de juros e número de meses.

Na calculadora do site Faz a Conta, ainda é possível calcular empréstimo com Tabela Price e Tabela SAC. Com essa alternativa, o usuário descobre se consegue arcar com uma parcela mais alta no começo ou se prefere ter valores fixos a pagar durante a operação.

Pode ser difícil achar quais são as taxas praticadas pelo banco que você deseja calcular. Por isso, verifique as taxas médias de juros cobradas por cada instituição no site do Banco Central e compare. O portal também possibilita descobrir as taxas médias de cada modalidade. Isso pode ajudar a saber qual é o modelo de crédito mais interessante para ir atrás.

 

Como calcular o valor de um empréstimo 

Muitas vezes, o valor a ser solicitado em um empréstimo é definido a partir da capacidade de pagamento. Isto é, qual seria o valor máximo da parcela que cabe no orçamento mensal.

Por exemplo, uma pessoa que solicita um empréstimo para reformar ou construir, provavelmente só vai definir o orçamento da obra a partir do montante que conseguirá com o financiamento. Para chegar nesse valor vai calcular a sua capacidade mensal de pagamento.

Com a calculadora abaixo é possível chegar nesse valor, desde que se tenha a taxa de juros oferecida pelo banco.

 

Custo Efetivo Total (CET)

O cálculo das taxas de juros e das parcelas serve para ter uma ideia de quanto pagamos por um empréstimo. No entanto, é bom destacar que outros encargos e custos podem ser embutidos no valor final a ser pago.

Diante disso é importante saber o Custo Efetivo Total da operação. É obrigação da instituição passar essa informação para o consumidor. O ideal é comparar os CETs de diferentes empresas para os mesmos valores e prazos de pagamentos. Pode acontecer que uma empresa com juros mais altos, possua menos gastos operacionais e, então, tenha um custo menor da operação.

Postado por Revista Creditas

Portal de conteúdo especializado em educação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *