Descubra agora como fugir dos juros abusivos

Publicado em Atualizado em: 13/07/2018
juros abusivos

As linhas de crédito mais utilizadas pelo brasileiros são também as mais caras. Além de possuírem fácil acesso com análises menos rigorosas, também são as mais ofertadas pelos bancos aos clientes. Como as pessoas desconhecem alternativas, acabam optando por essas modalidades e muitas vezes pagam juros abusivos.

O Brasil tem um dos maiores juros do mundo e a aplicação de taxas abusivas contribui para a manutenção desse alto índice. As empresas costumam adotar esses valores elevados e equilibrar as despesas operacionais. Dessa forma, o cliente acaba pagando os altos custos por meio dos juros.

Muitas instituições são processadas, autuadas e condenadas pela prática de juros abusivos. Geralmente, empresas que oferecem empréstimos para negativados costumam ser acionadas, pois as taxas são muito altas para compensar os riscos de inadimplência.

Quando considerar os juros abusivos?

Não existe uma tabela que define os juros abusivos, mas desconfie se essas taxas estiverem muito destoantes da média do mercado. É muito importante ficar atento ao contrato firmado com a empresa e com as taxas que foram acordadas.

Uma boa alternativa para se manter informado e evitar as práticas abusivas é consultar as taxas médias das instituições no site do Banco Central (BC). É possível descobrir o valor médio dos juros aplicados em cada tipo de operação de crédito por todas as empresas que oferecem a modalidade.

Um exemplo é o financiamento de automóveis. Essa é uma prática que recorrentemente é acusada de conter juros abusivos. Na tabela de aquisição de veículos do BC vemos que as taxas variam entre 1% e 5% ao mês, porém a maior parte aplica juros entre 1,3% e 2%. Esse é um bom comparativo para entender se o que estão cobrando no seu financiamento destoa muito do mercado.

Na tabela abaixo estão dispostas as principais linhas de crédito do país e suas respectivas taxas médias.

Quando uma cobrança é abusiva?

Além dos juros abusivos, a cobrança indevida é outra prática ilegal que muitas empresas aplicam. Segundo o Código de Defesa do Consumidor, o cliente inadimplente, ao ser cobrado, não pode ser exposto ao ridículo, sofrer qualquer tipo de constrangimento ou ameaça.

É bom explicar que a cobrança é um ato legal desde que feita por meios lícitos, porém o credor não pode abusar desses métodos. Deve-se sempre preservar a dignidade do devedor. Por exemplo, usar informações falsas, importunar terceiros, deixando recados com vizinhos, colegas de trabalho ou parentes, são maneiras ilegais de cobrar uma dívida por exporem o consumidor.

Além disso, ligações repetidas e cartas ameaçadoras, práticas bastante comuns, também são inválidas para fazer a cobrança. Caso esteja passando por um caso desse tipo, busque a ajuda de um profissional para entender quais são os caminhos a seguir. Nessas situações, o credor deverá indenizar o devedor pelos danos causados.

Para evitar chegar nesse ponto, se organize e procure não contrair altas dívidas com juros elevados. Esse é o primeiro passo para não se enrolar financeiramente. Em todo o caso, mantenha um planejamento ativo para não deixar a situação sair do controle.

O que fazer para regularizar a situação?

Se você já percebeu ou quer descobrir se estão lhe cobrando juros abusivos, busque a ajuda de um profissional. O mesmo vale para o caso das cobranças indevidas. Um advogado vai te auxiliar a entender a situação e se é válido mover algum tipo de ação contra a empresa.

Um contrato pode ser muito complexo e difícil de se analisar. Um especialista vai ajudar a encontrar quaisquer irregularidades presentes no documento. Esses erros também podem beneficiá-lo na hora de buscar um acordo para saldar a dívida pendente.

Outra alternativa interessante é buscar um empréstimo com uma instituição que ofereça juros baixos. Com uma taxa reduzida, é possível quitar a dívida antiga e fugir da aplicação abusiva dos juros. Dessa forma, a parcela é reduzida e não compromete o orçamento da mesma maneira que o outro débito.

Três opções de empréstimo com juros baixos

O empréstimo com garantia é a forma mais barata de pegar crédito no país. E existem diversas formas de colocar um bem como garantia de uma operação. As formas mais comuns de serem aceitas são: veículo, imóvel e o próprio salário.

O consignado é a maneira de pegar um empréstimo com a garantia do salário. Isso acontece de uma forma que os pagamentos são descontados diretamente do holerite. Com isso, diminui o risco de inadimplência, já que o desconto é automático.

Outras modalidades utilizam o veículo ou o imóvel como a garantia da operação. Nesses casos, são propriedades físicas que são utilizadas para que haja a segurança de pagamento. Desse modo, as instituições conseguem oferecer as menores taxas de juros.

A Creditas é uma startup que trabalha com empréstimos com garantia de imóvel e automóvel, sendo referência nesse mercado. A empresa apresenta taxas a partir de 1,15% para imóvel e 1,49% para carro, dependendo da modalidade e perfil do cliente. Ao operar com diferentes instituições para prover o dinheiro, a empresa oferece a menor taxa de juros possível aos consumidores.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Postado por Revista Creditas

Portal de conteúdo especializado em educação financeira.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de
Inadimplência: melhora da economia pode ajudar endividados

Economia

Inadimplência: melhora da economia pode ajudar endividados

Especialista conta as expectativas econômicas para 2019 - e a boa notícia para os inadimplentes

Dívida ativa: entenda o que é mito ou verdade

Finanças Pessoais

Dívida ativa: entenda o que é mito ou verdade

Deixar de pagar contas como IPTU e IPVA pode trazer mais prejuízo do que se imagina

Renegociar dívidas: 7 motivos para você quitar os débitos

Finanças Pessoais

Renegociar dívidas: 7 motivos para você quitar os débitos

Renegociar dívidas é fundamental para tornar o planejamento financeiro sustentável. Entenda o porquê

Ano novo sem dívida: dê adeus ao nome sujo em 2019

Finanças Pessoais

Ano novo sem dívida: dê adeus ao nome sujo em 2019

Confira como se organizar para começar o ano novo sem estar negativado

Veja mais
Navegue por temas