Revista Creditas - Conteúdo e Informação sobre Finanças

Sua empresa precisa antecipar recebíveis? Conheça o Factoring

Factoring

Para ter um negócio de sucesso é preciso estar com as contas equilibradas e ter uma reserva de capital. Porém, se uma empresa não tem recursos financeiros suficientes para se sustentar enquanto não recebe do cliente, há alternativas. O factoring é uma boa opção para ter dinheiro e balancear o fluxo de caixa.

Se você usa recursos bancários, como cartão de crédito, para realizar os pagamentos, é interessante conhecer o fomento mercantil. É uma opção para desconto de duplicatas e ter o dinheiro na sua conta antes da data prevista para recebê-lo.

 

O que é factoring e fomento mercantil?

Factoring é um nome moderno para fomento mercantil. Basicamente é uma operação financeira em que ocorre desconto de duplicatas, oferecido por instituições comerciais. É indicado para empresas que buscam receber à vista o que ganhariam por vendas a prazo. O foco nesse caso é atender negócios de pequeno e médio porte, justamente porque o valor requerido cabe nas finanças da factoring.

A empresa de fomento compra a duplicata à vista e oferece o valor, total ou parcial, referente a ela para o cliente. Porém, se este não conseguir pagar dentro do período esperado, tem de comprar o título de volta. Isso é chamado de direito de regresso.

Mas, afinal, factoring é um empréstimo? Diferentemente do que muitos pensam, não. Apenas bancos e financeiras credenciadas pelo Banco Central são permitidas a realizar essa operação.

A factoring só oferece o dinheiro porque tem a venda da empresa como garantia. Ela não emprestaria pelo simples fato de talvez ser paga. E, na verdade, a instituição só antecipa o valor que já cairá na conta do negócio. Isso reduz bastante o risco de não receber.  

A Rapidoo é o exemplo de uma empresa de fomento comercial totalmente online. Por meio dela é possível adiantar o pagamento de notas fiscais emitidas a prazo e renegociar dívidas.

 

Modalidades do factoring

Há diferentes tipos de factoring e cada um é próprio para um objetivo do cliente:

  • Factoring Convencional: É caracterizado pela compra dos direitos creditórios das empresas. Em outras palavras, adquire a duplicata de uma venda à prazo e fornece o valor á vista. É o mais comum no Brasil.
  • Factoring Maturity: modalidade em que a atividade da fomentadora envolve administrar as contas a receber e todas as cobranças da empresa.
  • Factoring Matéria-prima: quando uma empresa não tem dinheiro à vista para pagar o fornecedor que entrega a matéria-prima, a factoring pode fazer isso. O negócio fomentado devolve o capital assim que faturar com a produção.
  • Factoring Trustee: essa modalidade engloba tanto o factoring convencional quanto o maturity. Basciamente, fica responsável pela administração de todas as contas a pagar e receber da empresa (gestão financeira).
  • Factoring Exportação: no processo de exportação de bens e serviços, há intermediação de duas factorings, uma de cada país. Isso ajuda na rapidez e eficácia das operações.
  • Factoring com recursos: nessa modalidade caso a empresa fomentada não seja paga pelo cliente dentro do prazo esperado, a factoring deve receber o respectivo valor do adiantamento mesmo assim.
  • Factoring sem recursos: nesse caso a factoring deve arcar por conta própria com a falta de pagamento e assume totalmente o risco de inadimplência.

 

A origem do factoring

O fomento mercantil é muito antigo, surgiu na Europa nos séculos XIV e XV. Porém, nesse período ainda não existiam instituições comerciais responsáveis por esse serviço. Até então existia um agente mercantil com a função de Factor. Essa pessoa era responsável por intermediar a venda de produtos de terceiros: deveria entregar a mercadoria ao comprador e depois levar o pagamento ao comerciante.

Aos poucos, esses agentes começaram a antecipar o pagamento aos fornecedores, numa espécie de revenda. Era um trabalho similar ao que conhecemos hoje como representante comercial. Então, o factoring tomou uma dimensão muito maior, chegando ao que é hoje.

Como funciona

Essa operação inclui algumas taxas. O pagamento à vista desconta a taxa de serviço. Além disso, pode cobrar outras despesas, como IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros) e a avaliação de crédito. É importante considerar todos esses custos antes de fechar com uma factoring. Como isso varia de uma para outra, procure a que apresenta a menor cobrança.

Cada empresa de fomento tem suas próprias regras, mas o processo para conseguir o dinheiro é bem parecido. Confira todos os passos para ter o valor à vista.

Etapas para conseguir o serviço

  1. Cadastro: é necessário fazer um cadastro na empresa. É realizada uma análise do seu perfil de crédito, apesar de menos criteriosa em comparação a bancos
  2. Envio de títulos: o cliente envia os títulos que quer antecipar. Pode até fazer isso no próprio site da factoring ou por e-mail, se possível.  
  3. Proposta: o cliente avalia a proposta da empresa de fomento, principalmente os custos envolvidos na operação.  
  4. Contrato: para fechar o negócio é necessário assinar as duplicatas e um contrato para receber antecipadamente.

 

Vantagens e riscos do factoring

Como toda operação que envolve receber capital, essa também tem pontos positivos e perigosos. Para fazer uma escolha adequada à situação do seu negócio, conheça os dois lados.

  • Aumentar o capital de giro: Se seu objetivo é ampliar o capital de giro e manter as contas em dia, é uma boa opção. Ainda é possível negociar prazos maiores para os clientes, já que não vai prejudicar o fluxo de caixa. Quando comparado a modalidades de crédito como cartão de crédito ou cheque especial o custo é muito menor.
  • Menos burocracia: O processo de análise de crédito também é menos exigente e burocrático, o que facilita sua aprovação. Inclusive, é vantajoso para micro e pequenos negócios, já que pode ser mais difícil conseguir crédito em bancos ou financeiras.
  • Custo alto: Embora seja uma operação mais barata do que empréstimos bancários, por exemplo, o custo total é alto. O mesmo é válido para o risco de o cliente não pagar a empresa fomentada. Se isso acontecer, esta tem de comprar de volta o título da factoring.

Então, é preciso estar preparado para imprevistos. De preferência, só solicite antecipação de recebíveis de bons pagadores.

Alternativas

Como nem sempre o fomento mercantil é a opção mais benéfica para seu negócio, é importante conhecer outras. Há linhas de crédito com outros objetivos e taxas menores.

Empréstimo para empresas

Essa modalidade é focada em Pessoa Jurídica e oferece inúmeros produtos. O empréstimo para empresas oferece desde crédito para capital de giro, financiamento até cartão de crédito e cheque especial.

No entanto, é um processo bastante burocrático. A análise de crédito é muito criteriosa e a finalidade do empréstimo deve ser identificada para o credor. O projeto precisa ser financeiramente viável, o que é comprovado com a apresentação de um plano de negócio.

Empréstimo com garantia

O empréstimo com garantia é uma opção com juros muito baixos e prazos mais longos. Esse recurso costuma ser buscado principalmente para grandes projetos, uma vez que oferece quantias elevadas.

Para a instituição conceder condições diferentes da média do mercado, precisa estar segura de que você pagará. Por isso, você pode atrelar um bem como garantia da operação, por meio de um contrato. Esse processo é chamado de alienação fiduciária.

A boa notícia é que você continua usando normalmente sua casa ou carro próprio. Inclusive pode vender ou comprar um bem alienado. Então, consegue bastante dinheiro sem precisar se desfazer dessa posse.

Se você é micro ou pequeno empreendedor é ainda melhor recorrer a fintechs, empresas que unem tecnologia e finanças. Essas empresas tem um processo de contratação online, o que reduz bastante as burocracias. É ótimo para conseguir capital de giro, equilibrar as contas e especialmente para trocar dívidas altas por uma só com juros menores. Por isso, a modalidade também é conhecida como refinanciamento.

A Creditas é uma fintech especialista nessa linha de crédito. Se precisar de mais de R$ 30 mil pode contratar o empréstimo com garantia de imóvel. Pode solicitar até 60% do valor do bem, com uma taxa mínima ao mês de 1,15%.

No caso do veículo, é possível receber até 70% ou 80% do valor do bem e no mínimo R$ 5 mil. A taxa mínima é de 1,49% ao mês e o prazo chega a 48 meses.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Postado por Revista Creditas

Portal de conteúdo especializado em educação financeira.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de

Empréstimo online para empresas: o que você precisa saber

Empréstimos para Empresas

Empréstimo online para empresas: o que você precisa saber

Conheça as opções de empréstimo para empresas disponíveis na internet

Empréstimo peer-to-peer lending: como funciona?

Empréstimos para Empresas

Empréstimo peer-to-peer lending: como funciona?

Desde 2015, ano em que o P2P começou a aparecer no Brasil, o investimento tem conquistado mais pessoas, tanto empreendedor quanto investidor

Guia completo sobre Empréstimos para Empresas

Empréstimos para Empresas

Guia completo sobre Empréstimos para Empresas

Empréstimos para empresas são alternativas para quem procura expandir e reformar o seu negócio. Também pode ser utilizado para pagamento de contas e f ...

Veja mais