Revista Creditas - Conteúdo e Informação sobre Finanças

Quando e como contratar empréstimo para pagar dívidas

empréstimo para pagar dívidas

Estar endividado tira o sono de qualquer pessoa e o primeiro pensamento que nos vem à mente é: preciso de dinheiro! Porém, é importante ter uma boa estratégia nessa hora, porque qualquer passo em falso pode piorar a situação, resultando em mais débitos. Um empréstimo para pagar dívidas pode ser a solução para diminuir seus gastos, desde que escolhido com cautela.

Além disso, antes de buscar uma alternativa, você precisa somar tudo que deve para poder se planejar e saber por onde começar. Na maioria dos casos, os gastos excessivos são causados por falta de organização, não apenas por escassez de dinheiro.

Por isso, é válido fazer um levantamento das dívidas acumuladas até aqui e manter esse comportamento sempre que tiver um novo custo, para evitar ficar no vermelho de novo.

Saiba o tamanho da dívida

São muitas contas para pagar e nem sempre é fácil acompanhar as finanças de perto. Por isso, muita gente perde a dimensão de quanto deve, conforme passam os meses. Mas, calcular esse valor vai te mostrar quantos planos você deixa para trás a cada dívida acumulada.

Para isso, uma sugestão é listar todos os gastos ainda não pagos. Escreva cada produto e parcela pendentes, para ajudar na organização.

Você pode dividir em uma tabela as seguintes informações:

  • Tipo de dívida
  • Valor por mês de cada uma
  • Número de parcelas
  • Valor total acumulado até agora

Confira uma opção de como organizar essa planilha:

Quando é válido solicitar empréstimo para pagar dívidas?

Se você tem débitos muito caros, como do cartão de crédito ou cheque especial, o ideal é procurar um empréstimo com juros bem mais baixos. Assim, você pode refinanciar as dívidas, ou seja, trocar por parcelas mais baratas. A ideia é economizar bastante no valor final e ter mais dinheiro sobrando no fim do mês para destinar a outras contas.

É especialmente válido, quando a renda mensal já está mais de 30% comprometida com dívidas, limite estabelecido pelo Banco Central. Isso porque se ultrapassar esse valor, você deixa de usar boa parte do dinheiro para gastos básicos e acaba prejudicando ainda mais suas finanças.

Se você já está negativado, o empréstimo pode te ajudar, mas é preciso ficar atento às condições de pagamento. As taxas costumam ser bem maiores, os prazos pouco atrativos para quem sujou o nome e nem sempre vale a pena.

 

Qual linha de crédito escolher?

Contratar empréstimo pode te tirar do vermelho e colocar suas contas no trilho novamente. Porém, é importante escolher uma modalidade com juros baixos, para você economizar o máximo possível nas parcelas.

Afinal, o objetivo é você diminuir cada vez mais as dívidas e quitar o mais rápido possível.

Empréstimo com garantia

Se você tem dívidas altas e precisa de um crédito com os juros mais baixos do mercado, encontrou a modalidade mais adequada. Você pode solicitar valores bem altos e, inclusive, tirar outros sonhos do papel, como viajar, reformar sua casa ou abrir um negócio.

Para conseguir essas condições você pode assegurar o pagamento com um bem, isto é, deixar em alienação fiduciária. Isso não te impede de continuar usando normalmente seu carro ou casa, mesmo enquanto não terminar o contrato.

Essa linha de crédito tem crescido bastante no Brasil por facilitar o acesso e diminuir os custos elevados. A Creditas é uma fintech, empresa de tecnologia focada em finanças, especialista em empréstimo com garantia. A ideia é você fazer parte do processo pela internet e ganhar tempo.

É possível receber até 90% do valor do veículo, com uma taxa mínima de 1,49% ao mês. E pode pagar em até 48 meses. Se quiser deixar o imóvel em garantia consegue até 60% do que vale, a partir de 1,15% ao mês. O prazo se estende a 240 meses de acordo com seu perfil de crédito.

 

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é descontado diretamente da folha de pagamento de forma automático, o que representa muita comodidade para quem contrata. Porém, justamente por isso só é concedido a assalariados de empresas privadas, servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS.

Também é conhecido por ter juros baixos, porém, você fica sem parte do dinheiro para usar em outras contas. Isso exige planejamento financeiro e consciência na hora de gastar. É fundamental se preparar antes de tomar esse empréstimo para não tomar um susto quando ocorrer o pagamento.

 

Passo a passo para contratar

Confira todos os passos necessários para conseguir empréstimo para pagar dívidas.

  1. Simulação: você pode simular o empréstimo no site da instituição. Assim, já tem uma estimativa de quanto pagará, do número de parcelas e do prazo para quitar.
  2. Solicitação: se concordar com a proposta, pode solicitar também pela internet ou por telefone, dependendo da instituição. No site, é preciso preencher alguns dados básicos, como nome, CPF, RG e telefone. Depois, é só aguardar o contato da empresa para passar pelas próximas etapas.
  3. Análise de crédito: em algumas linhas de crédito, o perfil do contratante é avaliado mais profundamente. Aqui, a situação financeira do cliente e o valor solicitado são analisados para saber se há condições de quitar a dívida futuramente.
  4. Análise jurídica: os documentos de quem solicita passam por uma verificação e triagem. No caso do empréstimo com garantia, nessa etapa também é avaliada, em paralelo, a propriedade a assegurar o pagamento.
  5. Assinatura do contrato: se o cliente for aprovado até aqui, é emitido o documento para ser assinado. Em seguida é liberado o dinheiro na conta.

Documentos necessários

No geral são solicitados alguns documentos básicos:

  • RG / CPF
  • Comprovante de renda
  • Comprovante de residência
  • Holerite dos últimos 3 meses

No caso do empréstimo com garantia são exigidos alguns outros, como:

  • Certidão de Casamento ou Nascimento, se solteiro – no caso de imóvel
  • Documentação do Imóvel ou do Veículo atualizados
  • CNH (Carteira de Habilitação) – no caso de veículo
SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Postado por Revista Creditas

Portal de conteúdo especializado em educação financeira.

Comentários

6 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Sou funcionario publico tenho varios emprestimos consiguinados queria fazer a quitação deles e ficar so com um qual a possibilidade

    1. Oi, Gerson!

      Você pode refinanciar essas dívidas, ou seja, contratar um empréstimo que concentre todas essas dívidas, pagando juros menores.
      Se você tiver carro ou casa em seu nome, uma opção é fazer um empréstimo com garantia, que tem custos bem baixos.

      Se quiser entender mais sobre o refinanciamento, pode ler esses textos:

      Refinanciamento ou portabilidade de crédito: qual é melhor? > https://www.creditas.com.br/revista/refinanciamento-ou-portabilidade-de-credito/

      Como funciona o empréstimo para pagar dívidas > https://www.creditas.com.br/revista/emprestimo-para-pagar-dividas/

      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de

Serasa: o que você precisa saber sobre os principais serviços

Finanças Pessoais

Serasa: o que você precisa saber sobre os principais serviços

Saiba como consultar os principais programas da empresa para ter uma vida financeira de qualidade

Como sair das dívidas e manter a conta no azul

Quitar Dívidas

Como sair das dívidas e manter a conta no azul

Em alguns passos você poderá se livrar dos boletos atrasados e ligações de cobrança.

Passo a passo: como consultar débitos de veículos

Quitar Dívidas

Passo a passo: como consultar débitos de veículos

Você pode verificar a situação do seu veículo, valor e prazo das dívidas no site da Secretaria da Fazenda ou do Detran. Veja como.

Ficar inadimplente prejudica as finanças pessoais e a economia

Quitar Dívidas

Ficar inadimplente prejudica as finanças pessoais e a economia

Uma pessoa inadimplente é aquela que não cumpre com compromissos financeiros com prazo previamente determinados. Entenda as consequências.