Empréstimo para pagar dívidas

O empréstimo é uma boa opção para quem está endividado e precisa pagar as dívidas. Saiba como solicitar, além das documentações, condições, taxas e como não se endividar novamente

Estar endividado tira o sono de qualquer pessoa e a primeira coisa que nos vem à mente é: preciso de dinheiro! É importante ter uma boa estratégia nessa hora, pois qualquer passo em falso pode piorar a situação, resultando em mais dívidas.

Um empréstimo pode ser eficaz. Existem diversas modalidades disponíveis no mercado e saber escolher entre elas implicará em quitar as dívidas de forma inteligente. Contudo, é essencial ter cuidado, pois o empréstimo nem sempre é a solução dos problemas financeiros. Se o problema real for a falta de controle do dinheiro, ele pode agravar ainda mais a situação.

Um exemplo de uma boa estratégia é a pessoa que possui diversas dívidas: cartão de crédito, empréstimo, carnês etc. e solicita um empréstimo com baixas taxas de juros para pagar todas essas dívidas. Desta forma, ao invés de ter várias despesas (com vencimentos em prazos diferentes e com juros altos) a pessoa passa a pagar apenas uma conta (do empréstimo) com juros menores. Trata-se de unificar as dívidas.

Veremos nesse artigo como funciona o empréstimo e como usá-lo de maneira adequada para quitar as dívidas. Além disso, você também entenderá como funciona o processo para se livrar de uma dívida cara e como evitar as dívidas, acompanhe.

  1.  Taxas e condições
  2.  Prazos e vantagens
  3.  Documentação e como solicitar
  4.  Pagar dívidas com empréstimo: passo a passo
  5.  Vale a pena pegar empréstimo para pagar dívidas?
  6.  Como evitar dívidas
  7.  Como negociar e quitar dívidas
  8.  Como escapar das dívidas

1. Taxas e condições

Algumas linhas de crédito podem ser mais vantajosas em relação a tantas outras oferecidas no mercado. Nem sempre os empréstimos pré-aprovados são a melhor opção, porém, existem alguns recursos que podem facilitar a contratação, além de garantir melhores taxas e condições.

Usar um um bem como garantia pode facilitar a contratação de um empréstimo e agregar de forma positiva com relação às melhores taxas de juros e condições.

Veja dois exemplos de empréstimos com garantia que beneficiam o contratante.

Ambas as linhas de crédito acima oferecem baixas taxas de juros: a partir de 2,6% e 1,5% ao mês, respectivamente.

Se o cliente estiver com restrição no nome, dependendo do caso o banco pode aceitar e liberar o empréstimo. Colocando um bem como garantia fica mais fácil de conseguir dinheiro para pagar as dívidas, além de ser uma forma estrategicamente inteligente, pois as taxas de juros são mais baixas.

empréstimo pessoal também pode ser uma boa saída. Porém , os juros são superiores (entre 4% e 10% ao mês) aos das linhas de crédito que colocam um bem como garantia de pagamento, como o os descritos acima ou o Consignado, por exemplo.

2. Prazos e vantagens

Se você optar por empréstimo com um bem como garantia (imóvel ou veículo) saiba que o prazo para pagamento é maior. Justamente porque o banco se sente mais seguro, pois o risco de não pagamento das parcelas, inadimplência, cai consideravelmente. O empréstimo com garantia de imóvel oferece até 20 anos para pagamento e com garantia de veículo, 5 anos.

Já com o empréstimo pessoal você normalmente tem entre 12 a 36 meses para efetuar o pagamento, dependendo do valor do empréstimo e do banco que solicitar.

Vejas as principais vantagens.

  • Empréstimo com a casa em garantia: até 60% do valor de sua casa como empréstimo e 20 anos para pagamento
  • Empréstimo com o carro em garantia: até 90% do valor do seu carro como empréstimo e 5 anos para pagamento
  • Empréstimo pessoal: no mínimo R$ 2 mil como empréstimo e até 3 anos para pagamento (mas é possível conseguir valores menores dependendo do banco e se tiver ou não crédito pré-aprovado).

O seu principal papel aqui é decidir qual empréstimo se enquadra melhor ao seu perfil. Lembre-se de que as despesas fixas mensais não devem ser pagas com o empréstimo, mas com seus rendimentos.

Se você perceber que não poderá arcar com todas as despesas que possui, comece a cortar gastos, já que solicitar um empréstimo resolverá o problema agora, mas poderá agravar sua situação em breve.

3. Documentação e como solicitar

Cada modalidade de crédito exige uma documentação específica, veja.

Empréstimo com imóvel em garantia

  • CPF e RG
  • DPS (Declaração Pessoal de Saúde), validade de 180 dias
  • Comprovante de residência (conta de telefone/luz/água/gás do mês atual)
  • Se casado, Certidão de Casamento; solteiro, Certidão de Nascimento
  • Documentação do imóvel (habite-se, escritura averbada e matrícula)

Empréstimo com veículo em garantia

  • RG e CPF ou CNH (Carteira de Habilitação)
  • Documentação do veículo (que deve estar em dia)
  • Comprovante de rendaPagar dívidas com empréstimo: passo a passo
  • Comprovante de residência

Empréstimo pessoal

  • RG e CPF
  • Comprovante de endereço (dos últimos três meses)
  • CLT (os dois últimos holerites)
  • Autônomos ou empresários: 2 últimos meses do extrato movimentado

Empréstimo consignado

  • RG / CPF
  • Comprovante de renda
  • Conta de consumo (luz/ água/ telefone etc.)
  • Holerite dos últimos 3 meses

Para solicitar algum desses empréstimos você pode seguir dois caminhos: pela Creditas ou pelo banco / instituição financeira.

A Creditas oferece online as modalidades de crédito com garantia de imóvel ou de veículo, você nem precisa sair de casa, basta solicitar através do nosso site. Além disso, o serviço é totalmente gratuito, você recebe o atendimento de um consultor financeiro e tem acesso a várias propostas de diversos bancos em um só lugar.

Simulação

Caso prefira, poderá fazer apenas uma simulação em nosso site para ter uma ideia aproximada dos valores que conseguirá como empréstimo. Você só precisa informar a renda familiar mensal e o valor do seu bem (casa ou carro).

Abaixo, para que você tenha melhor noção do processo em si, listamos um passo a passo, veja.

4. Pagar dívidas com empréstimo: passo a passo

O empréstimo para pagar dívidas pode ser feito de várias maneiras. Ou melhor, através de várias modalidades de crédito.

1º Passo: decida qual o melhor empréstimo

Com tantas linhas de empréstimo disponíveis no mercado, você precisa decidir qual tem mais a ver com seu perfil. Caso tenha uma casa quitada em seu nome, o melhor empréstimo é a Hipoteca (com Garantia Imóvel). Assim, é possível conseguir até 60% de sua casa como empréstimo e pagar em até 20 anos. Se tiver um carro, a melhor opção é o Empréstimo com Garantia Veículo, sendo possível adquirir até 90% do seu carro como empréstimo e pagar em até 5 anos. As outras principais opções são: Consignado (através da folha de pagamento) ou empréstimo pessoal (sem nenhum bem como garantia).

2º Passo: solicitação

Depois de escolher a melhor linha de crédito (levando em consideração o valor de juros e o valor necessário para pagar as dívidas), é hora de contratar o serviço. Para isso, você deve entrar em contato com um banco/ instituição financeira ou, então, através da Creditas, onde você pode fazer tudo online, sem sair de casa.

3º Passo: análise de crédito

Pois bem, você já escolheu o tipo de empréstimo e fez a solicitação. Agora, a próxima etapa é aguardar a aprovação do banco. Isso significa que você passará por diversas análises de crédito. O objetivo é analisar se você conseguirá pagar as parcelas ou não. Portanto, o banco verificará seu histórico como consumidor (para ver se você já foi inadimplente), potencial de pagamento (renda mensal e movimentação da conta), averiguação do bem (em caso de carro ou imóvel dado como garantia), entre outras análises.

A análise de crédito pode ser diferente para cada modalidade de empréstimo.

4º Passo: liberação do empréstimo

Se você foi aprovado na análise de crédito, o dinheiro do empréstimo é depositado em sua conta corrente, normalmente no prazo de até 48 horas.

Lembre-se, é muito importante ficar atento com o valor das parcelas. O empréstimo deve ser um recurso para auxiliá-lo a pagar juros inferiores aos das suas dívidas atuais. Cuidado para não fazer uma solução virar um problema. Para isso, faça simulações na Creditas para ter uma ideia dos valores que conseguirá como empréstimo.

5. Vale a pena pegar empréstimo para pagar dívidas?

É difícil decidir qual a melhor maneira de acabar com as dívidas. O empréstimo para pagar dívidas é uma alternativa bem procurada, mas talvez não seja uma boa estratégia. O que vai determinar o melhor caminho para conseguir dinheiro e acabar com as dívidas é o seu próprio perfil financeiro. Na prática, existe uma questão essencial que influencia nessa decisão: a origem da dívida.

5.1 Por que não?

Se você está endividado por má gestão das finanças pessoais, ou seja, falta de controle financeiro, o empréstimo definitivamente não é uma boa ideia. Nesse caso, você precisa cortar gastos, ter noção do seu balanço financeiro (quanto entra e quanto sai de dinheiro) e, principalmente, para onde o seu dinheiro sai, pois, assim, a contenção de gastos será direcionada corretamente.

Depois de colocar a casa em ordem, o empréstimo se torna uma alternativa viável. Tanto para pagar as dívidas quanto para investir em qualquer negócio.

5.2 Por que sim?

Se o seu problema for circunstancial, em outras palavras, se você se endividou de forma planejada, o empréstimo pode ser uma boa estratégia. Ainda mais hoje que é possível colocar um bem como garantia (casa, carro, folha de pagamento etc.) e pagar taxas de juros baixas.

O Empréstimo com Imóvel em Garantia é ideal para quem tem uma casa quitada, pois é possível colocá-la como garantia de pagamento e conseguir até 60% do valor avaliado como empréstimo para pagar em até 20 anos. O mesmo acontece com o Empréstimo com Garantia Veículo, sendo possível adquirir até 90% do valor de mercado do carro para pagar em até 5 anos. As taxas são muito baixas, principalmente por existir um bem como garantia.

As outras opções são: Consignado (coloca a folha de pagamento como garantia) e cobra os menores juros do mercado. Ou, então, o empréstimo pessoal (que não coloca nenhum bem como garantia) e tem taxas de juros mais elevadas que as outras modalidades.

6. Como evitar dívidas

O endividamento é um problema comum entre milhares de brasileiros e alguns estudos já apontam que a situação, em casos mais elevados, pode trazer consequências para a saúde geral e mental de jovens e adultos. A boa notícia é que as dívidas podem ser evitadas e até negociadas, de forma que, com planejamento e determinação, o consumidor pode voltar a ter crédito na praça.

6.1 O perfil do consumidor inadimplente

Se você possui alguma conta em atraso há mais de 90 dias, saiba que já é considerado um consumidor inadimplente e provavelmente faz parte de um grupo que poderá reverter sua situação financeira através de planejamento e determinação.

De acordo com uma pesquisa realizada pela CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e o SPC – Serviço de Proteção ao Crédito, 47% dos consumidores inadimplentes estão concentrados na classe C e isso se deve, principalmente, ao fato do crescente acesso ao crédito mais barato e menos burocratizado.

A pesquisa revela, ainda, que além de pertencer a classe C, muitos destes consumidores são autônomos, possuem gasto fixo com aluguel e baixa escolaridade, de forma que acabam adquirindo com facilidade produtos e serviços sem ter tempo para educarem-se financeiramente.

6.2 Como evitar dívidas através do planejamento

A pesquisa citada acima demonstrou ainda que 46% das pessoas que estão com o nome sujo admitem que a dívida poderia ser evitada e 66% dessas mesmas pessoas afirmaram que deveriam ter controlado os impulsos consumistas. Entre os inadimplentes, 32% afirmaram que se tivessem realizado um planejamento, sem gastar além do que ganham, não estariam nesta situação.

O uso do crédito deve ser consciente e a melhor forma de sabermos quanto ganhamos e gastamos mensalmente é através da elaboração de uma planilha para controle dos gastos. Alguns aplicativos para celular também podem te ajudar nessa hora. Especialistas sugerem que práticas simples sejam adotadas para auxiliar os consumidores em geral a manter uma vida financeira mais saudável:

  • Anotar gastos e despesas
  • Fazer três orçamentos
  • Acompanhar extratos bancários
  • Não comprometer mais que 30% do orçamento com compras parceladas

7. Como negociar e quitar dívidas

Ciente de quanto você ganha e de quanto você gasta, o próximo passo é negociar suas dívidas. Sabendo o valor do seu saldo mensal, entre em contato com cada um dos seus credores e solicite descontos para o pagamento à vista.

Lembre-se também de solicitar um prazo maior, já que irá levantar o dinheiro necessário através de um empréstimo e não sabe em quanto tempo o crédito estará disponível.

8. Como escapar das dívidas

Estar endividado é uma situação economicamente desagradável. Lidar com as dívidas exige disciplina e escapar delas pode ser um verdadeiro sofrimento para algumas pessoas.

Pensando nessa dificuldade, descrevemos a seguir alguns passos para aprender a trabalhar o orçamento com sabedoria e sair da situação do endividamento:

  1. Trace pequenos objetivos
  2. Mude sua mentalidade
  3. Evite pagamentos automáticos
  4. Cuidado com o cartão de crédito
  5. De olho nas companhias

8.1 Trace pequenos objetivos

As pessoas, no geral, têm pressa de sair dos endividamentos e alcançar o estado de paz financeira. É o mesmo que acontece em outras áreas da nossa vida, como por exemplo, entrar em boa forma física. Mas, assim como não dá para perder 10 quilos do dia pra noite, também não dá para se livrar das dívidas com um simples piscar de olhos.

O primeiro passo é deixar de fazer novas dívidas. Leia nosso artigo com táticas para economizar. Trace pequenos objetivos econômicos, exemplo: tenho que economizar R$ 200,00 esse mês, para isso vou cortar a TV a cabo, não comprar revistas, deixar de ir àquele restaurante para ir em outro mais barato, ou pedir uma pizza etc.

8.2 Mudando sua mentalidade

Reestabelecer-se financeiramente pode não só depender de algumas metas a curto prazo, mas sim, de uma verdadeira mudança na forma de pensar e se comportar.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos provou que pessoas impacientes tendem a se descontrolar mais usando o cartão de crédito do que pessoas pacientes. Isso nos mostra que mudar a mentalidade está ligado a mudar seus hábitos.

Por exemplo: você não consegue ir ao shopping, entrar em uma loja e não comprar nada (nem que seja algo pequeno). Solução prática: não vá ao shopping. Vá a um parque, visite os parentes etc. Outra solução mais arriscada seria não levar o cartão de crédito, mas ainda assim você pode ceder à tentação e pedir que alguém compre para você.

8.3 Evite pagamentos automáticos

O pagamento automático é um serviço que os bancos oferecem em que, todo mês, o valor de uma conta é pago automaticamente (sem que o usuário tenha que ir a um caixa ou fazer o pagamento pela Internet).

Ao tentar economizar é importante evitar os pagamentos automáticos. Isso por que muitas vezes aquele pagamento está lá programado e você não se lembra dele. Pode ser que não seja algo necessário e que poderia ser economizado, como um pacote de TV a cabo, por exemplo.

Todo mês seu dinheiro entra na conta e automaticamente sai para esse pagamento, temos que admitir que é bastante cômodo, mas na hora de se controlar financeiramente o pagamento automático pode atrapalhar.

  • Pegue a conta na mão
  • Analise todos os aspectos e o que está sendo cobrado na conta
  • Faça o pagamento

Esses simples gestos o ajudarão a analisar e reconsiderar aquela dívida, algo que é fundamental para a administração de seu orçamento.

8.4 Cuidado com o cartão de crédito

Apesar dos benefícios, programas de pontos e todas as vantagens, os cartões de crédito devem ser usados com moderação durante uma tentativa de se estabilizar economicamente. O maior perigo é se descontrolar ao usá-lo e com isso acabar gerando novas dívidas.

O melhor hábito é ver como o cartão de crédito pode ajudá-lo a economizar. Por exemplo, alguns cartões oferecem benefícios como descontos em cinemas, teatros e produtos, outros oferecem a troca dos pontos acumulados por produtos e até desconto em compras. Você pode usar os pontos na troca de um presente, por exemplo, um valor que sairia do seu orçamento mensal e agora poderá ser economizado.

8.5 De olho nas companhias

É difícil evitar de sair com as pessoas que gostamos, como amigos e parentes, mas às vezes é mais difícil acompanhar pessoas que tem gostos caros. Antes de aceitar ou fazer um convite leve em consideração algumas questões:

  • Meus amigos estão em situações diferentes das minhas?
  • Quais minhas alternativas de diversão?

Evitar de sair é sempre uma opção, porém existem alternativas eficientes para o seu bolso e que não vão comprometer as suas expectativas de diversão com os amigos.

Cabe a você definir seus limites e evitar situações que o levem a uma quebra financeira. Ao seguir essas dicas, você poderá mudar sua forma de pensar e gastar. No final, suas finanças lhe agradecem. A chave é mudar o pensamento.

Postado por Time Creditas

A Creditas nasceu da missão de diminuir os juros no Brasil. Conheça mais sobre a gente em: https://www.creditas.com.br

  1. Você precisa de um empréstimo, Você quer pagar contas,
    Expandir o seu negócio ?, Não procure mais, oferecemos todos os tipos de empréstimos tanto
    Empréstimo de longo e curto prazo, para apenas 2% interest.If você precisa de um empréstimo, e-mail para mais
    Informações TODAS as respostas devem ser enviadas para o E-Mail:
    Loveloanfirm8@hotmail.com e você receberá um empréstimo o mais rapidamente possível
    Observamos que todos os seus e-mails devem ser enviados para loveloanfirm8@hotmail.com

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *