Deixar a dívida prescrever (caducar): vale a pena?

Não vale a pena deixar a dívida prescrever, pois, mesmo após 5 anos, você continuará sendo cobrado e terá dificuldade com futuras liberações de crédito

É muito comum ouvirmos no senso comum, ou seja, popularmente, que a dívida depois de 5 anos some. Desta forma, basta ficar esse período sem pagá-la que, pronto, a dívida se foi. Esse procedimento é chamado de prescrever dívida ou deixar “caducar”.

No entanto, o processo não é bem assim. Nessa história existe uma parte verdadeira e outra que é um mito. Antes de entender como funciona a dívida prescrita, a Creditas lembra que existem dois empréstimos com juros muito baixos para quitar dívidas. Trata-se do empréstimo com veículo em garantia empréstimo com imóvel em garantia.

Dívida prescrita: verdade

De acordo com o CDC (Código de Defesa do Consumidor), quando o cliente fica registrado como negativado (restrição no CPF), no SPC e Serasa, ele deverá ter o nome limpo automaticamente após cinco anos.

Portanto, mesmo se o consumidor não pagar a dívida, o seu nome deve ser limpo depois de 5 anos. Essa é a parte verdadeira da história que corre de boca em boca no popular.

Dívida prescrita: mito

A mentira é que a dívida some. Ou então que depois de cinco anos estará tudo bem, mesmo se você não quitar suas parcelas. Na realidade, o seu CPF é regularizado sim, contudo, a empresa na qual você está devendo não deixará de te cobrar. Além disso, o mercado tem controle do seu histórico de consumo (tecnicamente chamado de score), e isso pode te prejudicar no futuro.

Toda vez que você tentar solicitar um empréstimo, financiamento ou qualquer outro tipo de produto bancário, o seu histórico e a dívida caducada serão levados em consideração como barreiras para aprovação do crédito.

Assim, o melhor caminho é negociar ou renegociar sua dívida o quanto antes e evitar futuras dores de cabeça.

Relacionados

Como pagar uma Dívida Ativa em SP Deixar de pagar uma dívida ativa em SP pode ocasionar diversas consequências ao contribuinte. Essas implicações podem variar desde restrições de crédi...
Cheque devolvido: entenda, regularize e evite rest... Gradualmente, o cheque vem sendo substituído pelo cartão de crédito. No entanto, ainda é muito utilizado para pagar valores altos. Por exemplo, em 201...
Como funciona o processo de execução fiscal Quem está com uma dívida ativa, ao deixar de pagar começa a acumular juros, multas, além do nome ficar sujo. No entanto, a consequência mais grave do ...
Dívida ativa de IPVA: quais as consequências e com... O IPVA é o Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor, tributo estadual aplicado a todo proprietário de veículo. Dividido igualmente entre estados...

Postado por Revista Creditas

Portal de conteúdo especializado em educação financeira.

  1. EGINALDO DE JESUS SANTOS 10/06/2017 at 23:47

    TENHO UMA DIVIDA BANCARIA E POSSÍVEL NEGOCIARMOS

    Responder

    1. Time Creditas 13/06/2017 at 17:54

      Oi, Eginaldo! É possível, sim. Vamos ver o que a gente consegue te oferecer!
      Faça um cadastro no nosso site, acesse: http://www.creditas.com.br

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *