13º salário: dicas para usá-lo como um benefício de verdade

Publicado em Atualizado em: 12/04/2019

Cerca de 84,5 milhões de brasileiros receberão o salário adicional em 2018. Confira algumas dicas de como aproveitá-lo da melhor maneira

A segunda quinzena de novembro normalmente é um período de muita comemoração para empregados do regime CLT. E o motivo é muito simples: pagamento da primeira parcela do benefício do 13º salário. Instituída como uma gratificação de natal em 1962, o benefício garante que o trabalhador com carteira assinada, seja ele doméstico, rural, urbano ou avulso, além de aposentado e pensionista do INSS, receba o valor correspondente a um salário extra ao final do ano.

Para 2018, as expectativas do pagamento são positivas. Espera-se que o benefício injete 211,2 bilhões de reais na economia nacional, de acordo com estimativas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o correspondente a aproximadamente 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O órgão também indica que  cerca de 84,5 milhões de brasileiros receberão o rendimento adicional, em uma média nacional de 2. 320 reais.

Receba nossos conteúdos exclusivos

Destino do 13º salário

A fim de mapear como os brasileiros utilizam o benefício do final do ano, a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (FecomércioRJ), em parceria com a Ipsos – consultoria de estudo de mercado -, elaboraram uma pesquisa no ano passado. A análise ocorreu no período de 1 a 15 de outubro e ouviu 1 200 pessoas de cidades como Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte, Recife, Salvador e outras 64 cidades do país.

Quando indagados sobre como usariam a quantia do 13º salário, as prioridades eram: pagar alguma dívida; poupar; comprar algum serviço ou produto; lazer e, por último, reformar a casa.

Embora a primeira resposta da análise tenha sido quitar dívidas, uma parte dos brasileiros, levam ao pé da letra o  ditado popular que diz que dinheiro na mão é vendaval. Nesse momento, atenção: para que o salário do décimo terceiro seja um benefício de verdade, é importante ter planejamento e tomar alguns cuidados.

Foco nas dívidas

Para manter uma vida financeira saudável, é muito importante conseguir arcar com as despesas assumidas. Isso implica em pagar as dívidas, principalmente, as que são compostas por juros altíssimos, como o cheque especial e o cartão de crédito – grandes responsáveis por corroer o orçamento.

Segundo Marcio Reis, diretor de dados e pesquisas do Guiabolso, ao receber o 13º salário, é importante que o trabalhador faça uma lista de prioridades. Em caso de dívida – e, especialmente, inadimplência – é importante regularizar a situação – e tentar abater o valor.

“A sugestão é a de usar o benefício para tentar antecipar parcelas de dívidas e/ou quitar a pendência financeira”, aconselha Reis. “Quando você antecipa o pagamento, muitas vezes recebe um desconto, o que ajuda a economizar e a perder menos dinheiro.”

Sem dívidas? Faça uma reserva

A recomendação para os que possuem uma vida financeira saudável e sustentável é poupar. Construir uma reserva de emergência é fundamental para não prejudicar o orçamento no curto e médio prazo.

De acordo com o diretor do Guiabolso, o ideal é que a pessoa tenha seis meses de gasto mensal guardado em algum fundo de baixa liquidez – em que o resgate é feito rápido, como algumas opções do Tesouro Direto, por exemplo.

Manter uma reserva é importante, pois muitas das pessoas ficam endividadas por conta de despesas extraordinárias, aquelas que não estavam previstas no orçamento, como doenças, batidas de carro, acidentes, e etc.

“Com o dinheiro poupado, é possível curtir o benefício com um pouco mais de tranquilidade”, diz Reis. “Porque senão, qualquer problema que surgir pode comprometer o orçamento/salário do ano que está por vir.”

Pague contas com desconto

O início do ano é sempre regado de gastos sazonais para muitos brasileiros. Contas como IPTU, IPVA, matrícula e material escolar, manutenção de um veículo, entre outros, geralmente, são cobradas em janeiro. Por isso, uma outra dica valiosa para aproveitar o 13º salário de uma maneira rentável é quitar essas pendências.

A dica é valiosa, porque quando você antecipa o pagamento dessas contas, ou oferece o montante à vista, o valor final recebe um desconto. Tal estratégia proporciona uma economia, assim como evita com que você se endivide, ou fique mais apertado logo no início do ano novo.

Caso não seja possível destinar toda parcela do décimo terceiro para pendências como essas, a orientação é separar entre 25% a 30% do montante. “A quantia depende muito da realidade de cada um, mas é importante fazer as contas para tentar economizar. Deixar uma parcela separada para gastar em janeiro”, indica o diretor.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Postado por Paula Bezerra

Editora da Revista Digital Creditas, jornalista de coração e alma. Escreve sobre finanças, inovação, economia, cultura e o que mais der na telha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de
Nos últimos dois anos, tarifas bancárias sobem o dobro da inflação

Finanças

Nos últimos dois anos, tarifas bancárias sobem o dobro da inflação

Reajuste médio praticado pelos 5 maiores bancos do país foi de 14%. Conheça os serviços gratuitos aos quais o consumidor tem direito

Inadimplência e nome sujo podem atrapalhar recolocação profissional?

Finanças

Inadimplência e nome sujo podem atrapalhar recolocação profissional?

Empresas usam a inadimplência como motivo para rejeitar candidatos, mas a prática, na maioria dos casos, não é permitida

O que a Turma da Mônica pode ensinar sobre educação financeira?

Finanças

O que a Turma da Mônica pode ensinar sobre educação financeira?

Em cartaz no cinema, personagens do Mauricio de Souza vão muito além do entretenimento. Relembre momentos em que eles ensinaram jovens e famílias

Saiba como tirar o planejamento financeiro do papel

Finanças

Saiba como tirar o planejamento financeiro do papel

Em entrevista para o IGTV, Otávio Machado, da Creditas, dá dicas de como organizar o orçamento e não se enrolar com as contas diárias

Veja mais
Navegue por temas