Revolucionando o empréstimo no Brasil
Finanças

Planejamento financeiro para casal: como ter sucesso nessa união

Pesquisa aponta que quatro em cada dez casais brigam por divergências com dinheiro. Para evitar desgastes, o primeiro passo é traçar objetivos com o (a) parceiro (a)

Escrito por Paula Bezerra em 11.01.2019 | Atualizado em 12.04.2019

  • 0 Likes

Em novembro de 2017, a jornalista e community manager Isadora Greiner  e seu parceiro, o gerente de projetos Caio Caetano, tomaram uma das decisões mais importantes de um relacionamento: morar juntos. Na época, com quase três anos de namoro, o casal queria dar um passo a mais na relação e, além de dividir os momentos e a vida, compartilhar, também, o mesmo teto e responsabilidades. Junto com essa decisão, veio o dilema: como dividir as contas e estruturar um planejamento financeiro para casal? “Antes de tomarmos a decisão, conversamos muito sobre o assunto, para que não ficasse apertado ou desproporcional pra nenhum dos dois”, diz Isadora.   

Entrave comum entre os casais, dividir o pagamento das contas e organizar as despesas é um dos principais motivos de briga - e separação - entre os casais. Uma pesquisa elaborada pelo SPC Brasil em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quatro em cada dez casais entrevistados brigam por causa do dinheiro. Segundo o levantamento, as discordâncias ocorrem, principalmente, quando o assunto é gastos da casa, reservas para imprevistos e o fato de não querer pagar pelos gastos do cônjuge.

Por isso, Isadora e Caio conversaram bastante e estruturaram um planejamento financeiro para o casal, de modo que não destoasse ou ficasse pesado para nenhum dos dois. Uma das soluções encontradas por eles foi fazer a divisão das contas proporcionalmente com o salário de cada um. A regra é clara: quem ganha mais, assume responsabilidades condizentes à renda. Ao final do dia, o casal consegue traçar metas e focar em seus objetivos, sem deixar de aproveitar os pequenos prazeres da vida, como viajar, jantar fora e, até mesmo, comprar presentes pessoais.

“Conversar sobre finanças não é um tabu para nós, pelo contrário. Sempre compartilhamos informações como o quanto ganhamos, as despesas que temos e como podemos investir”, diz a community manager. "Já, inclusive, recebi dicas do Caio de como usar melhor o meu dinheiro e evitar gastos desnecessários", conta. 

[hubspotemdeb title="Assine a Newsletter Creditas!" subtitle="Receba conteúdos exclusivos dos nossos especialistas em finanças"] 

Planejamento financeiro para casal: porque não deve ser um tabu

Diferente da Isadora e do Caio, que tiraram de letra a organização da finanças a dois, muitos outros casais não têm o mesmo sucesso - e disposição. Outro levantamento do SPC Brasil em parceria com a CNDL indica que três em cada dez brasileiros não sabem o salário do parceiro. E um dos principais motivos para que isso ocorra é porque quase 70% das famílias não discutem abertamente os gastos e as receitas da casa.

Ou seja: não falam abertamente sobre planejamento financeiro. “Essa falta de diálogo prejudica o avanço, consolidação e tranquilidade do casal”, diz Leandro Trajano, personal financeiro. “Quando há transparência, o assunto está sempre em pauta e passa a fazer parte da rotina do casal. Com o tempo, isso é discutido de maneira leve e descontraída”, completa.

Para o especialista, a partir do momento em que o casal senta e compartilha informações financeiras, como salário, objetivo, planos e metas, eles conseguem traçar juntos a dinâmica e organização da renda - e, a partir disso, realizar os objetivos. 

Para desmistificar esse tabu, a Revista Digital Creditas e o  personal financeiro Leandro Trajano traçaram algumas dicas. Veja a seguir:

Não existe forma certa, existe a forma que dá certo

Segundo o especialista, não existe forma certa: existe a maneira que dá certo. Cada casal encontra o seu ponto de equilíbrio nessa questão. O mais importante é não ter julgamentos, tratá-lo de maneira burocrática ou com medo: tente, ao máximo, ser transparente com seu/sua parceira (o). Nesse sentido, não vale esconder ganhos ou perdas. Quanto mais claro e aberto você for, melhor para o casal.

Caso ainda haja dificuldade para trazer o assunto à tona, marque um dia para conversar sobre. Com o passar do tempo, quanto mais abordado pelo dois, o diálogo se tornará natural e frequente.

Além disso, ter foco e um propósito que una o casal contribui bastante nesse processo. Por exemplo, quando um casal chega a um plano de realizar uma viagem juntos, eles devem colocar na ponta do lápis o quanto vão precisar para alcançar a meta. Com o objetivo traçado, eles, juntos, poderão se programar para realizá-lo.

“O que eu sugiro como planejamento financeiro para casal é que eles tenham muito claro quais são os objetivos deles. Não só para o ano, mas em curto, médio e longo prazo. Conforme o tempo for passando, é importante revisar os planos para ficar sempre alinhado. Isso ajuda a manter o foco e a executar o plano traçado”, explica o especialista.

Cada casal encontrará a melhor maneira de controlar as finanças, seja por meio de uma planilha para os dois ou individual, aplicativos ou pastas de documentos. O mais importante é que tenha organização e planejamento do quanto ganha, gasta e o quanto será poupado por ambos para que o objetivo seja alcançado. 

Divisão de renda do casal

financiamento financeiro para casal

O momento da divisão das contas e das responsabilidades pode sempre gerar um pico de tensão. Isso porque, quando não há um equilíbrio, pode ficar mais pesado - e difícil - para uma das partes. Consequentemente, isso afeta na relação de alguma maneira. “As opções e objetivos ficam diferentes nesse caso. Enquanto um poderá ir em um restaurante mais barato, o outro vai querer visitar um lugar mais sofisticado. Haverá incompatibilidade”, diz Trajano.

Nem sempre a divisão igualitária é o melhor caminho. Um dos formatos indicados é proporcional ao salário de cada um. Ou seja: quem ganha mais, automaticamente fica responsável pelas contas mais altas. O mesmo vale em viagens, lazer, e etc. Isso gera um equilíbrio e impede o casal de ter realidades diferentes.

“Isso independe de ter conta em conjunta, ou não. Ter a conta bancária separada não quer  dizer ter as finanças separadas. Traçar o mesmo objetivo e planos é saudável para o casal”, explica.

De acordo com o personal financeiro, quando existe um planejamento financeiro para casal, mesmo com divergências de ideias e salariais, há mais chances de ter sincronia e sucesso - principalmente quando há equilíbrio e diálogo.  

Infidelidade financeira

Sabe aquele episódio de comprar algo escondido do (a) parceiro (a)? Isso é chamado de infidelidade financeira. Comum nas relações, as pessoas sentem vergonha e/ou receio de contar ao outro que gastou com algo que possa gerar algum tipo de conflito.

Para que isso não aconteça, o especialista em finanças aconselha: primeiro, não esqueça do planejamento financeiro para casal. Com isso feito, deixe sempre claro as suas vontades, prioridades e do que gosta. "A individualidade das pessoas não devem ser perdidas em um relacionamento. Quando o espaço e vontades do outro é respeitada, isso evita problemas e a chamada infidelidade financeira", diz.

Uma maneira de tentar contornar essa questão é sempre estabelecer limites e respeitar as vontades de cada um. Se o casal tem um objetivo, é importante estar sempre focado para não extrapolar as metas. A orientação nesse caso, porém, é de sempre tentar separar uma quantia da renda para sanar desejos pessoais. 

“Se uma das pessoas do casal gosta de comprar cerveja artesanal e a outra gastar com salão, não tem problema, é importante manter os gostos individuais e ter uma verba destinada para isso”, conta Trajano. “Quando tudo é mantido às claras, não tem motivos para a infidelidade financeira.”  

Com o planejamento financeiro para casal bem definido, transparência e diálogo, muitos problemas poderão ser evitados - principalmente os relacionados ao dinheiro.

Receba conteúdos exclusivos

Não perca nenhuma novidade, assine nossa newsletter.

  • 0 Likes
Paula Bezerra

Escrito por Paula BezerraEditora da Revista Digital Creditas, jornalista de coração e alma. Escreve sobre finanças, inovação, economia, cultura e o que mais der na telha.

Revolucionando o empréstimo no Brasil

Quem somos

As transformações do mundo exigem cada vez mais de nós. Mais funções, mais responsabilidades, mais conhecimento. Mais, mais e mais. Mas o que Creditas e Exponencial têm a ver com isso?

Somos movidos por fazer a diferença na vida das pessoas. Se vivemos o tempo das informações ilimitadas, é nossa função criar e filtrar diferentes conteúdos aos nossos leitores, para que o conhecimento financeiro deles cresça exponencialmente.

Exponencial. Informação é fonte de crescimento.

A Creditas é uma plataforma digital que atua como correspondente bancário para facilitar o processo de contratação de empréstimos. Como correspondente bancário, seguimos as diretrizes do Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011.

Creditas Soluções Financeiras Ltda. é uma sociedade limitada registrada sob o CNPJ/MF 17.770.708/0001-24, com sede na Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 105, 12º andar Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04571-010