Revolucionando o empréstimo no Brasil
Creditas
Creditas
Crédito e empréstimo

Dívida do FIES: aprenda a renegociar e saia da inadimplência

Mesmo com taxas de juros reduzidas, o não pagamento da dívida do FIES pode trazer algumas consequências ao estudante. Aprenda a regularizar a situação

Escrito por Vanessa Ferreira em 17.10.2019 | Atualizado em 17.10.2019

  • 0 Likes

Conciliar estágio e estudos, tirar boas notas e entregar o TCC parecem desafios muito grandes ao longo da vida acadêmica. Mas, para muitos, a “hora da verdade” chega, de fato, após a formatura, quando é preciso começar a pagar a dívida do FIES.

Embora os juros cobrados pelo financiamento sejam baixos e vantajosos — em algumas situações, por exemplo, o estudante fica isento das taxas —, é preciso ficar atento ao prazo estipulado em contrato para a quitação da dívida, que, geralmente, passa a ser contado após a conclusão do curso.

O que acontece em muitas situações, porém, é que, como o período para pagar a dívida do FIES é longo, muitos estudantes não estruturam um planejamento financeiro correto. Mais que isso: imprevistos como gastos inesperados e, até mesmo, desemprego, pegam muitos de surpresa, tornando ainda mais difícil a organização financeira. 

Para tornar o processo mais claro, Exponencial elaborou uma série de dicas que vão desde como quitar a dívida do FIES até estruturar um planejamento para renegociar o débito. Confira, a seguir: 

Dívida do FIES: tudo o que você precisa saber  

Ao não conseguir quitar a dívida do FIES, muitos estudantes se preocupam com a perda do diploma, com a impossibilidade de se inscrever em órgãos regulamentadores da profissão ou até mesmo trabalhar na área na qual se formou. Mas, fique tranquilo, isso não impede o seu direito de exercer a profissão que escolheu. 

Por outro lado, existem, sim, algumas consequências em manter o débito pendente, tendo em vista que se trata de um financiamento com uma instituição financeira. Mas, para entender as consequências da dívida e como acabar com ela, é preciso, primeiro, entender o funcionamento do pagamento do financiamento estudantil. 

Segundo informações do Ministério da Educação (MEC), os pagamentos das parcelas do financiamento estudantil FIES deve ser iniciado a partir do primeiro mês após a conclusão do curso, desde que o estudante possua renda. A parcela é descontada diretamente da fonte, ou seja, do salário mensal, e o prazo máximo para quitar o valor do financiamento pode chegar a 14 anos.

Caso o estudante não possua renda no momento previsto para o início dos pagamentos - ou em qualquer momento durante o período de amortização -, o recomendado pelo órgão responsável é que seja feito, pelo menos, o pagamento mínimo estipulado em contrato. O saldo restante é quitado pelo fundo garantidor (FG-Fies), um sistema que garante os riscos das operações de crédito educativo e é destinado especificamente a estudantes de maior vulnerabilidade financeira.

O primeiro ponto que deve ficar claro para o estudante é que dívida do FIES não é uma dívida bancária comum. Isso porque, por estar vinculada a um órgão federal, ela passa a figurar como débito com o Setor Público Federal. Por isso, suas consequências são mais graves que as geradas por inadimplência de créditos de outras naturezas.

Veja o que pode acontecer se você não quitar a dívida do FIES:

  • Negativação do nome: o não pagamento da dívida implica na inclusão do CPF no cadastro de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito como SPC e Serasa, o que impossibilita o acesso ao crédito e compras a prazo.
  • Inscrição no CADIN: o Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal impossibilita a abertura de contas, a concessão de empréstimos na rede bancária, a apreensão de bens e até o bloqueio de restituição do Imposto de Renda, que somente é liberado após o pagamento do débito.

Leia também | Tire suas dúvidas e entenda como funciona o FIES

Tenho uma dívida com o FIES. O que devo fazer?

Em meio a tantas consequências é preciso buscar alternativas para manter as parcelas do financiamento em dia, mas a tarefa fica insustentável para o estudante que não consegue ingressar no mercado de trabalho.

Uma pesquisa recente do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diesse) concluiu que o número de jovens que saem da faculdade e estão desempregados aumentou de 8,2% para 13,8% nos últimos quatro anos. Isso explica o grande volume de pessoas com dívida do FIES em aberto. 

De acordo com uma avaliação do departamento dos últimos anos, no total, cerca de 50% dos estudantes matriculados estão inadimplentes.

Ao se ver nessa situação, o primeiro passo é tentar renegociar a dívida, com parcelas que estejam adequadas ao seu orçamento. Além disso, passar a estruturar um planejamento financeiro, a fim de destinar mensalmente uma verba para quitar de vez o débito. 

Como fazer uma renegociação da dívida do FIES ?

Não há dúvidas de que a renegociação é o melhor caminho para conseguir quitar a dívida do FIES, já que permite ao credor que o valor seja reavaliado e que sejam propostas novas formas de pagamento ou um prazo maior para quitação do débito.

O estudante pode solicitar a renegociação de duas maneiras. No primeiro cenário, é possível solicitar um novo parcelamento e o saldo devedor total será redividido em 48 parcelas mensais. No segundo caso, é possível incluir os valores em atraso nas parcelas a vencer. Além disso, não há alterações na taxa de juros acordadas inicialmente.

Nos dois casos, é preciso oferecer um valor de entrada, que pode ser correspondente a 10% do valor consolidado da dívida vencida ou o valor de 1 000 reais, o que for maior. 

Contudo, não são todos os estudantes que podem fazer a renegociação. Veja quem pode solicitar:

  • Estudantes que assinaram os contratos até o dia 31 de dezembro de 2017; 
  • Estudantes que já pagaram uma parte da dívida;
  • Estudantes com uma ou mais parcelas com atraso mínimo de 90 dias.

Passo a passo para a renegociação da dívida do Fies

  1. Acesse o site do SisFies com o seu login e senha. Nesta página, você vai encontrar todas as informações sobre o financiamento, incluindo meses que faltam pagar, valor da parcela e o valor total pendente;
  2. Faça uma simulação da renegociação e escolha a quantidade de parcelas do novo contrato;
  3. Imprima a Declaração de Desistência ou Inexistência de Ação Judicial e o Documento de Regularidade para Alongamento de Amortização;
  4. Junto com os documentos acima, reúna os documentos pessoais (RG e CPF do estudante, comprovante de residência do estudante e do fiador e comprovante de renda do fiador;
  5. Em seguida, vá a uma agência da instituição financeira onde foi assinado o contrato, levando os documentos e assine os termos da renegociação.

Servidores públicos que utilizaram recursos do FIES para financiar seus estudos têm a opção de pagar o empréstimo com serviço público. Para cada mês de serviço prestado, há um abatimento de 1% do valor da dívida.

Dívida do FIES prescreve?

Essa é uma das dúvidas mais recorrentes entre os estudantes. Assim como outros tipos de empréstimo, a dívida com o Fies não prescreve ou deixa de existir após cinco anos. 

A confusão ocorre, pois, em modalidades de empréstimos convencionais, o que acontece é que os órgãos de proteção ao crédito retiram o CPF do devedor do cadastro de inadimplentes após esse período. Mas a empresa credora pode continuar cobrando a dívida normalmente.

Na dívida do FIES, porém, o processo é diferente: após os cinco anos de débito pendente, o nome do inadimplente continuará negativado e ele ainda corre o risco de ter bens apreendidos e bloqueados para saldar seu débito com o Governo Federal.

Leia também | Mito ou verdade: uma dívida caduca ou prescreve?

Como ter a dívida do FIES perdoada?

Assim como a dívida do FIES não é passível de prescrição, também não é possível ser perdoada. Trata-se de um empréstimo bancário e como tal é preciso honrar esse compromisso financeiro. 

Pode parecer uma tarefa impossível, mas com planejamento financeiro e um controle efetivo das finanças é possível quitar esse débito e sair na inadimplência.

Leia também | Como quitar dívidas e conquistar independência financeira

Você está tentando negociar sua dívida do FIES ou já passou por uma situação assim? Deixe um comentário contando a sua experiência ou compartilhe as suas dúvidas nos comentários!

Receba conteúdos exclusivos
Não perca nenhuma novidade, assine nossa newsletter.
Carregando...
  • 0 Likes
Vanessa Ferreira

Escrito por Vanessa Ferreira

Jornalista e apaixonada por marketing de conteúdo. Acredita no poder da informação para a disseminação de saúde financeira.
Revolucionando o empréstimo no Brasil

Quem somos

As transformações do mundo exigem cada vez mais de nós. Mais funções, mais responsabilidades, mais conhecimento. Mais, mais e mais. Mas o que Creditas e Exponencial têm a ver com isso?

Somos movidos por fazer a diferença na vida das pessoas. Se vivemos o tempo das informações ilimitadas, é nossa função criar e filtrar diferentes conteúdos aos nossos leitores, para que o conhecimento financeiro deles cresça exponencialmente.

Exponencial. Informação é fonte de crescimento.

A Creditas é uma plataforma digital que atua como correspondente bancário para facilitar o processo de contratação de empréstimos. Como correspondente bancário, seguimos as diretrizes do Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011.

Creditas Soluções Financeiras Ltda. é uma sociedade limitada registrada sob o CNPJ/MF 17.770.708/0001-24, com sede na Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 105, 12º andar Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04571-010