Revolucionando o empréstimo no Brasil
Creditas
Creditas
Crédito e empréstimo

Acabe com a dívida do cartão de crédito antes que ela acabe com você

Queridinho dos brasileiros, o cartão de crédito pode se transformar em inimigo nos momentos de descontrole financeiro

Escrito por Revista Creditas em 24.10.2019 | Atualizado em 24.10.2019

  • 0 Likes

A facilidade de parcelar compras e iniciar o pagamento somente no mês seguinte é tentadora. O problema é quanto essa praticidade vira descontrole financeiro, principalmente porque a dívida do cartão de crédito está entre as mais caras do mundo, ultrapassado os três dígitos em juros.

É o que mostrou uma pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito). De acordo com o levantamento recente, 83 milhões de pessoas estão com o orçamento prejudicado devido ao parcelamento de produtos e, dentre elas, 69% parcelam as compras no cartão de crédito.

Hoje em dia é difícil encontrar alguém que não tenha um cartão de crédito na carteira. Mais difícil ainda é encontrar alguém que não tenha perdido, pelo menos uma vez, o controle dos gastos. Nem sempre por consumismo, às vezes por imprevistos ou falta de informação. 

Se você está nessa situação, confira abaixo como  é possível sair desse mau endividamento e quitar sua dívida.

O que fazer com minha dívida de cartão de crédito?

Deixar a dívida do cartão de crédito acumular não é uma boa ideia para a saúde financeira. Isso porque a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito chega a quase 300% ao ano. 

Por isso, antes de deixar essa dívida acumular e os juros contarem dia a dia na sua conta, é muito importante buscar uma negociação com a operadora do cartão de crédito assim que estiver ciente do débito.  É a chamada “negociação extrajudicial”. Diferente de quando há o envolvimento jurídico - e da justiça -, a negociação extrajudicial é feita diretamente com o órgão em que a dívida foi contraída.

Em muitos casos, não é preciso comparecer pessoalmente a uma agência bancária ou falar com um atendente por telefone. Alguns agentes financeiros disponibilizam a negociação de forma totalmente online, no site ou aplicativo do cartão de crédito. Isso facilita o processo e torna a negociação mais rápida e fácil, tanto para o consumidor quanto para a instituição financeira. 

Mas, atenção: antes de assinar o  contrato de renegociação da dívida, entenda se é possível arcar com as parcelas mensais. Caso as parcelas da simulação não caibam no seu orçamento, vale entrar em contato com a operadora e negociar diretamente com o atendente. Lembre-se de que é do interesse de ambos que a dívida seja quitada.

Leia também > Compare as taxas de juros do rotativo do cartão de crédito

Vantagens do cartão de crédito que podem virar dor de cabeça

A facilidade de fazer uma compra de alto valor em pequenas parcelas, sem a necessidade de ter o dinheiro de imediato é, sem dúvidas, motivo suficiente para tornar essa modalidade de crédito tão popular. 

Outro diferencial dos cartões de crédito são os benefícios em outros setores, como clube de descontos em cinemas, jogos de futebol, exposições e milhas a cada compra para trocar por passagens aéreas. 

Por essas e outras vantagens o cartão de crédito vem ganhando popularidade. De acordo com um levantamento recente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), quatro em cada dez consumidores brasileiros já recorreram ao cartão de crédito, sendo a modalidade de crédito mais utilizada no País. 

Do total, quase metade parcela as compras com esse meio de pagamento pelo menos uma vez ao mês.

Por outro lado, apesar de ser um ótimo aliado, o cartão de crédito ganhou fama de ser o vilão das finanças pessoais. A mesma pesquisa mostrou que 96% dos usuários de cartão de crédito entrevistados disseram não ter conhecimento sobre a taxa de juros mensal quando entra no rotativo. 

Além disso, essa modalidade de crédito lidera o ranking de endividamento do brasileiro. Segundo a CNC (Confederação Nacional do Comércio), cerca de 76,9% das famílias endividadas estavam atrasadas com o pagamento da fatura.

Como quitar a dívida do cartão de crédito

Os dados do mau endividamento causado pelo cartão de crédito são preocupantes e devem ser um sinal de alerta para seus usuários. Principalmente pelas altas taxas de juros cobradas pela modalidade.

Então, se você pagou apenas o mínimo da fatura do cartão de crédito, que representa 15% do débito total, saiba que você entrou no rotativo. Isso significa que as suas dívidas restantes foram reajustadas com juros de 10,93% ao mês, em média, segundo dados do Banco Central.

Se depois de 30 dias você ainda não conseguir quitar o valor integral, a dívida será novamente corrigida e parcelada. Desta vez os juros são um pouco menores, mas ainda assim muito elevados.

Considerando que não foram feitas novas compras, uma fatura de R$ 1.000,00 que não foi integralmente paga, em dois meses pode se transformar em uma dívida de R$ 1.171,00 para pagamento à vista ou 12 parcelas de R$ 126,34, resultando numa dívida final de R$ 1.516,13.

E não é só isso! Além dos juros, as instituições financeiras vão cobrar multas pelo atraso e outros encargos. Portanto, a dívida pode ser maior do que você imagina. 

Para você se livrar definitivamente desse mau endividamento, separamos algumas dicas que vão ajudar a quitar a dívida do cartão de crédito:

1. Saiba exatamente quanto você deve

Ao ficar ciente do débito, entre  em contato com a emissora do cartão para solicitar o CET, que é o custo efetivo total da dívida. Só assim você vai ter o valor real. Essa informação é um direito do consumidor e o agente financeiro tem a obrigação de fornecer.

Aproveite o momento e verifique se tem outras contas atrasadas. Faça uma soma de tudo e veja quanto precisaria para pagar tudo à vista. Isso vale principalmente para quem tem mais de um cartão, pode ser de crédito ou de débito. Em situações de desequilíbrio financeiro é comum recorrer a um cartão para quitar outro. Isso cria uma falsa sensação de que está tudo sob controle.

2. Faça um raio-x da sua situação financeira

Agora que você já sabe o tamanho da sua dívida, precisa visualizar como é o seu orçamento para descobrir quanto pode reservar por mês para pagar o cartão de crédito. Então, separe um tempo para organizar as finanças com calma.

Escolha um método de organização de orçamento. Vale anotações em um caderno, uma planilha de Excel ou até um aplicativo específico para finanças pessoais. O importante é ter o controle de todos os ganhos, gastos fixos e pontuais.

Nesse processo também é importante fazer uma autoavaliação para entender o que causou o seu descontrole financeiro. Faça o pente-fino da fatura e veja exatamente quando o descuido ou descontrole aconteceu. 

Entender a origem da dívida é importante para evitar que o mesmo problema ocorra de novo no futuro.

3. Corte gastos

Se a conta não fecha no fim do mês e você não está conseguindo pagar a fatura do cartão de crédito, a explicação é só uma: você está gastando mais do que ganha. A solução é cortar gastos desnecessários e reduzir, ou pelo menos reavaliar, o que não pode ser eliminado.

Estabeleça um limite para alguns gastos como supermercado e lazer. Isso vai ajudar a manter o controle das finanças. Não deixe de se divertir, mas pesquise formas mais baratas e que pesem menos no bolso.

4. Evite novas compras parceladas

Outro ponto importante é evitar novas compras parceladas, principalmente durante esse período de controle das finanças.

Parcelar é uma facilidade, pois permite a aquisição de bens que, se fossem comprados à vista, consumiriam boa parte do orçamento mensal. Mas, parcelas a perder de vista também podem ser negativas e são o caminho mais fácil para o descontrole financeiro. 

Tente parcelar apenas o que for realmente essencial, como itens de maior valor e pague os custos menores à vista ou em parcelas mais curtas. Além disso, sempre se pergunte se realmente precisa daquilo que está comprando ou se essa compra pode esperar mais um pouco.

5. Troque a dívida cara por uma mais barata

Se a proposta de negociação da operadora do cartão de crédito não for vantajosa, negocie mais, ou vá atrás de alternativas mais baratas, caso perceba que o acordo será difícil. Dessa forma, no lugar da parcela com juros abusivos, é possível pagar parcelas saudáveis, que caibam no seu orçamento. 

É sempre válido comparar outras modalidades de crédito antes de fechar o acordo. Existem opções no mercado com taxas de juros reduzidas. É o caso do empréstimo consignado e o empréstimo com garantia, que são excelentes alternativas para trocar uma dívida cara por uma mais barata.

Lembre-se que o recomendado é o empréstimo não comprometer mais do que 30% da sua renda mensal.

6. Mude hábitos

A dica sobre anotar todos os ganhos e gastos não deve ser feita somente durante a negociação da dívida do cartão de crédito. Esse comportamento deve fazer parte da sua rotina. Assim, é possível acompanhar a evolução da sua situação financeira e, principalmente o efeito da amortização da dívida no seu balanço financeiro. Isso será um estímulo para não repetir erros que você cometeu anteriormente.

Além disso, cancele os cartões de crédito extras. Você não precisa de muitos, na verdade só deveria ter um. De preferência fique com um de crédito e débito. Não é recomendável mais do que isso. Acrescente no planejamento financeiro uma verba além dos gastos fixos, criando uma reserva de emergência para, assim, prevenir eventuais crises.

Como negociar dívida de cartão de crédito

De forma geral, a negociação é sempre um bom caminho para se livrar da dívida do cartão de crédito. 

O agente financeiro tem tanto interesse quanto você na quitação do débito e costuma facilitar o pagamento, seja com parcelas mais flexíveis ou com a redução da taxa de juros. Mas, antes, é importante entender quanto do seu orçamento mensal pode ser comprometido com o pagamento da dívida. Com isso, é possível fazer uma proposta ao banco que seja vantajosa para ambos.

Também é  válido fazer simulações de crédito em diferentes agentes financeiros para identificar se existem propostas mais adequadas à sua realidade financeira. Muitas vezes, é possível encontrar ofertas com juros menores e melhores condições de pagamento.

Com essas informações em mãos fica muito mais fácil negociar com o credor e oferecer argumentos convincentes para uma contraproposta.

Como parcelar a dívida do cartão de crédito?

Provavelmente você já deve ter visto na fatura do seu cartão de crédito uma simulação de parcelamento. Em muitos casos, é possível contratar o serviço apenas pagando o valor correspondente à mensalidade que você escolher.

Embora pareça cômodo dividir o valor total da fatura em parcelas fixas, essa prática não é nada vantajosa, já que existe a incidência de juros altos nesta operação. Portanto, caso não seja possível quitar o valor total da fatura, é mais vantajoso negociar o pagamento do débito com o banco e buscar alternativas de crédito mais baratas, que se encaixem no seu orçamento. 

O que acontece se eu não pagar o cartão de crédito?

Algo muito comum entre as pessoas que se enrolam com o pagamento da fatura do cartão é pagar somente o valor mínimo. Optando por esse serviço, você entrará no crédito rotativo e sua dívida será atualizada com a taxa de juros praticada pelo agente financeiro. 

Veja o ranking com as taxas médias de juros para o rotativo do cartão de crédito nas principais instituições  financeiras.

  Taxas de juros
Instituição % a.m. % a.a.
BANCO DO BRASIL   9,65   201,92
CAIXA ECONOMICA FEDERAL   10,79 241,98
BANCO SAFRA   11.09   253,37
BANCO ITAUCARD   11,11   253,87
BANCO SANTANDER   11,18   256,52
BANCO BRADESCO   11,34   262,93 
BV FINANCEIRA   13,45   354,74
BANCO ORIGINAL   14,29   396,64

*Dados disponibilizados pelo Banco Central do Brasil, obtidos em outubro de 2019.

Se a dívida estiver pendente após 30 dias, você precisará negociar uma forma de pagamento ou o agente financeiro poderá incluir o seu CPF no cadastro de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa. Com isso, você perderá o acesso ao crédito e a possibilidade de realizar novas compras parceladas.

A dívida do cartão de crédito pode bloquear a conta corrente?

Além das consequências acima, caso o credor e o devedor não cheguem a um acordo, o poder Judiciário pode determinar a penhora de bens do devedor para saldar o débito.

Nesse caso, é possível que a justiça solicite o bloqueio dos investimentos financeiros e saldo da conta corrente, exceto a poupança. Portanto, é importante tentar fazer uma negociação com o agente financeiro o quanto antes, a fim de regularizar a situação e manter a integridade do seu patrimônio financeiro. 

Dívidas do cartão de crédito prescrevem?

Muitas pessoas acreditam que as dívidas do cartão de crédito prescrevem, ou caducam, mas não funciona bem assim. 

Depois de cinco anos, o seu nome é retirado do cadastro de inadimplentes, pois só pode ficar inscrito legalmente durante esse período. Contudo, a dívida continuará existindo junto ao credor e a falta de pagamento constará nas suas informações, prejudicando o seu score e inviabilizando novos empréstimos ou outras formas de solicitar crédito.

O que pode acontecer e confundir os consumidores é o banco realizar a venda da dívida e repassá-la a uma empresa especializada em cobrança, já que essa execução demanda muitos custos. Outro ponto é que, em alguns casos, o custo de cobrar é maior do que o valor a ser recebido, fazendo com que a instituição desista ou suspenda essa cobrança.

Quando usar o cartão de crédito?

Diante de todos esses pontos, o cartão de crédito muitas vezes se torna um grande vilão para o controle das finanças, no entanto, também pode ser uma boa alternativa para controlar o orçamento, desde que usado de forma adequada. 

O prazo de 30 a 40 dias para pagamento da fatura pode ser uma grande ajuda para desafogar o orçamento. Mas, quando não há equilíbrio financeiro essa modalidade de crédito deve ser utilizada com cautela e somente em casos emergenciais. Nesse caso, o pagamento à vista é a alternativa mais segura e saudável. 

Outro ponto importante a ficar de olho são as compras parceladas. Lembre-se de contabilizar as compras do próximo mês, para você não gastar um valor que já está comprometido no seu controle mensal. 

Como funciona o cartão de crédito 

Intuitivo, rápido e fácil. O cartão de crédito é, realmente, um grande aliado de quem não gosta de andar com dinheiro vivo, ou dos que precisam de um “crédito” em curto prazo. 

Isso porque, para usá-lo, não é preciso ter dinheiro na conta para cobrir a operação, como no débito. Você vai acumular gastos e pagará apenas no próximo mês, por isso é a forma mais utilizada para o parcelamento, já que o débito precisaria de uma garantia de que o dinheiro estaria na conta nos próximos meses.

Ao fazer a compra parcelada, por exemplo, o banco paga ao lojista e a dívida do comprador passa a ser com a instituição financeira. Frequentemente, o cliente escolhe comprar no crédito por não ter o dinheiro no ato da compra.

Quem não tem dinheiro para pagar o valor integral da fatura e decide pagar apenas o mínimo para evitar a inadimplência, logo no primeiro mês o saldo devedor é corrigido com juros de aproximadamente 247% ao ano. Depois de 30 dias, se não conseguir quitar fatura cartão de crédito, a dívida será reajustada com juros de 160% ao ano, motivo pelo qual tantas pessoas ficam endividadas.

Portanto, caso se veja nessa situação, o melhor caminho é buscar alternativas para quitar o débito o quanto antes.  A sua saúde financeira agradece.

E você, já precisou parcelar a fatura do cartão de crédito ou optou pelo pagamento mínimo? Compartilhe a sua experiência com a gente e conte como conseguiu sair da dívida do cartão de crédito.

Receba conteúdos exclusivos

Não perca nenhuma novidade, assine nossa newsletter.

  • 0 Likes
Revista Creditas

Escrito por Revista Creditas

Portal de conteúdo especializado em educação financeira.
Comentários [8]

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Francisco da Chagas Botoza Kaxinawá
Francisco da Chagas Botoza Kaxinawá disse:
eu quero fazer um financiamento para quitar todas as minhas dividas que devo no Banco do Brasil e continuar com os meus limites em dias do meu cartão de creditos.
07.07.2017 às 21:02
Maria Luiza agenor
Maria Luiza agenor disse:
Eu quero faz um financiamentos para eu paga uma dívida
04.10.2019 às 11:54
Time Creditas
Time Creditas disse:
Nós da creditas trabalhamos com empréstimos com garantia de imóvel ou automóvel. Somos uma plataforma online, tudo é feito pelo nosso site.. acesse www.creditas.com.br e faça sua simulação
28.07.2017 às 11:06
Gibson dos santos fernandes
Gibson dos santos fernandes disse:
Oi boa tarde eu quero fazer um cartão como faço para fazer
26.11.2017 às 14:42
Internacional
Internacional disse:
Oi tudo bem. Adorei esse site. Conteudo de extrema qualidade. Obrigado por compartilhar
23.02.2018 às 14:46
Maria Shirley Lima
Maria Shirley Lima disse:
Queria muito um empréstimo para me trabalhar preciso muito
20.03.2018 às 17:31
Revista Creditas
Revista Creditas disse:
Oi, Maria Faz uma simulação em nosso site! Na Creditas você pode solicitar um empréstimo com garantia de imóvel ou veículo www.creditas.com.br Abs
28.03.2018 às 16:33
Emanuel Gomes
Emanuel Gomes disse:
Interessante.
03.04.2018 às 13:30
Luís Baltazar dos santos
Luís Baltazar dos santos disse:
Como faso pra comsequi um cartão de credito sem consulta spc e Serasa
01.10.2019 às 15:07
ailton claudio de oliveira
ailton claudio de oliveira disse:
eu fiquei desempregado, minhas economias acabaram ai fui usando o credito e me enrolando com faturas do cartao de credito, e hoje minha divida com cartoes esta altissima e ainda continuo desempregado e sem saber oque fazer para me livrar dessas dividas. cartao de credito e muito bom mais se nao saber usar vc acaba se afundando em dividas. o pior que no momento nao tenho nem como negociar com as operadoras de cartao pois estou desempregado e vivendo de pequenos bicos de pintura que nem sempre aparecem. realmente nao sem oque fazer
12.05.2018 às 19:51
Rafa
Rafa disse:
Quero um cartão desde
09.09.2019 às 19:27
Revolucionando o empréstimo no Brasil

Quem somos

As transformações do mundo exigem cada vez mais de nós. Mais funções, mais responsabilidades, mais conhecimento. Mais, mais e mais. Mas o que Creditas e Exponencial têm a ver com isso?

Somos movidos por fazer a diferença na vida das pessoas. Se vivemos o tempo das informações ilimitadas, é nossa função criar e filtrar diferentes conteúdos aos nossos leitores, para que o conhecimento financeiro deles cresça exponencialmente.

Exponencial. Informação é fonte de crescimento.

A Creditas é uma plataforma digital que atua como correspondente bancário para facilitar o processo de contratação de empréstimos. Como correspondente bancário, seguimos as diretrizes do Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011.

Creditas Soluções Financeiras Ltda. é uma sociedade limitada registrada sob o CNPJ/MF 17.770.708/0001-24, com sede na Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 105, 12º andar Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04571-010